2016 · Bem Estar · Blog · Brenda Moura · Conhecimento · Criatividade · Cultura · Dicas · Diversão · Divulgação · Filmes · Humor · Inspiração · Loucuras · netflix · Séries · Seriado

Saúdem todos o Rei Julien!

Olá meus povos! Tudo belezinha? Haha

Hoje vou falar sobre uma série de animação da Netflix, que na minha humilde opinião, é uma das mais bem boladas e inteligentes: Saúdem Todos o Rei Julien!

julian 01

All Hail King Julien, ou Saúdem Todos o Rei Julien em português brasileiro, é uma série criada pela DreamWorks Animation. Ela é baseada na franquia Madagascar, tendo como protagonista o lêmure Rei Julien com a história se passando antes dos acontecimentos do primeiro filme.

A série começa quando o tio dele (na época ainda rei) recebe uma profecia de um camaleão vidente, dizendo que aquele que vestisse a coroa seria devorado pelas fossas (que são tipo gatos predadores da ilha) no dia seguinte. Para se proteger, ele passa a coroa para seu sobrinho, planejando voltar e recuperar a coroa após a morte de Julien XIII, ou seja, após a conclusão da profecia. Mas este plano acaba não dando certo quando Julien sobrevive ao ataque das fossas e continua a ser rei.

A série é inteligentíssima em vários aspectos, a começar pelos personagens muito bem compostos. Além do festeiro (e meio avoado) Rei Julien, temos Maurice, que podemos considerar como a Mão do Rei (tipo Game Of Thrones hahaha) que dá os conselhos sobre o que o rei deve fazer (mesmo que na maioria das vezes, o Rei Julien faça o que ele mesmo julga correto); temos também Mort, lêmure baixinho de olhos esbugalhados que ama o Rei Julien e seus pés; e Clover, que é a protetora do Rei Julien e desconfia de tudo e todos ao seu redor.

Eu disse acima que a série é inteligentíssima ao longo de suas 3 temporadas, por abordar temas sérios, como por exemplo os fast foods, desarmamento, xenofobia, entre outros, de um jeito que tanto crianças quanto adultos dão boas risadas com as piadas, que são muito bem estruturadas e garantem um entretenimento super saudável e divertido.

Uma das coisas legais da série é que o Rei Julien nos mostra que é possível sim manter o bom humor e se divertir (que é sua filosofia de vida), mesmo diante de situações consideradas difíceis. Mas precisamos desses momentos, para perceber nossos erros e acertos diante dessas situações.

Para encerrar meu post, digo que se vocês procuram uma boa opção para rir nos dias tediosos e estressantes, essa série é uma ótima pedida.

PS: Abaixo, vou deixar a abertura da série, porque eu AMO essa música e canto junto toda a vez que assisto hahaha (a música começa a partir dos 0:15 segundos).

Beijo grande e até a próxima segunda!

selo-brenda-moura

Fonte: Wikipedia

2016 · Blog · Brenda Moura · Conhecimento · cotidiano · Cultura · Curiosidade · Dicas · Divulgação · Entretenimento · História · Humor · Ideias · Inspiração · Loucuras · Rotina · Séries · Seriado · Vídeos · Youtube

Orange is the New Black

Olá gente! Nessa segunda falarei sobre uma das séries de sucesso do momento e que eu também adoro: Orange is the New Black.

Orange is the New Black baseia-se na história real de Piper Chapman, uma mulher cuja vida aparentemente perfeita é virada de cabeça para baixo, quando deve cumprir pena em um presídio feminino por crime de tráfico de drogas cometido há anos.

Ao chegar na prisão, ela tem que se adaptar a essa nova vida, com as detentas, comida ruim, a falta de amizade, enfim, a todas as “maravilhas” que uma prisão pode lhe oferecer. E como se não bastasse isso, sua ex-namorada que a dedurou para a polícia, está na mesma prisão que ela.

Eu adoro a série, pelo desenvolvimento que ela ganha a cada temporada, pelos novos elementos que são acrescentados a ela e que mudam os rumos da história, etc. Mas, sinceramente, acho que a história da Piper é uma das menos interessantes da série, pelo menos nas duas primeiras temporadas.

Alguns personagens secundários como a russa Red, que tem uma história com a máfia, a transexual Sophia Burset, que tem problemas com o filho, Suzanne (ou Olhos Loucos), que é considerada como a “louca da prisão”… Essas personagens têm histórias melhores do que a da própria Piper. E ao longo da série, elas só melhoram.

Mas o fato é que a partir da terceira temporada, vemos uma Piper diferente, uma Piper que faz jus ao fato de estar presa, que começa a mostrar que ela não é aquela patricinha mimada que vimos no começo.

Digo que a terceira e quarta temporadas são as MELHORES da série, pois todas as personagens começam a se desenvolver mais, trazendo conflitos e boas doses de humor e drama. Um ponto que é forte na série e que para mim é uma das coisas mais interessantes, são os flashbacks que ocorrem, mostrando o passado das presas, o motivo de elas estarem ali, vivendo aquilo naquele momento.

Um fato legal de comentar é que a abertura da série é feita com presas de verdade!

Para encerrar, digo que para quem não assistiu, vale a pena começar e para quem já assistiu… Vamos esperar pela quinta temporada né? Hehe

Deixo a abertura da série aqui, e espero que vocês tenham gostado! Até a próxima segunda!

selo-brenda-moura

Fonte: Minha Série

 

2016 · Arte · Blog · Boa Causa · Clássico · Coleção · Conhecimento · Criatividade · Cultura · Design · Diversão · Divulgação · Entretenimento · Estilo · Filmes · Ideias · Indústria · Inspiração · Lançamentos · Loucuras · Moda · Movimento · Seriado · Tá na Moda · vintage

Riachuelo lança coleção unissex e geek

Dia 25 de maio é o Dia do Orgulho Geek/Nerd. E a marca Riachuelo decidiu apostar forte nesta data e criou uma coleção inteira de roupas para a Semana Geek… Confira!