comunicação · Cultura · Gabriel Moura · Reflexão

Publicidade dialética

Olá, tudo bem?

Podemos fazer publicidade para o mal?

É notável a capacidade do ser humano de inventar, reinventar e modificar tudo ao seu redor. E como tudo tem dois lados, essa característica inventiva pode ser usada para o mal. Vide as campanhas publicitárias de cervejas.

propagandas de cerveja alcoolismo reflexão 2017 gabriel moura blog loucuras de julia 01

O álcool é uma droga depressora do sistema nervoso central que causa desinibição e euforia em um primeiro momento; e depressão e angústia em um momento posterior. A síndrome da abstinência, caracterizada por confusão mental, visões, ansiedade, tremores e convulsões surge após a suspensão do álcool após longo tempo de consumo. Os efeitos agudos do consumo excessivo são sentidos em órgãos como o fígado, coração, vasos sanguíneos e estômago. Mas se engana aquele que pensa que apenas bebidas destiladas com alto teor de álcool causam dependência e malefícios para o organismo. É justamente pelo seu baixo teor que a cerveja se torna um perigo. É um veneno que se toma em doses homeopáticas.

Os grupos de ajuda à dependentes do álcool (Alcoólicos Anônimos) não existiram se o problema não fosse sério. E é agravado pela intensa publicidade sobre o consumo de cerveja que existe no país. Em sua maioria, esse tipo de publicidade se destina a uma parcela masculina da população, em uma faixa da escala social econômica (do meio para baixo). Por isso a mulher, ou melhor a vulgarização a mulher, é tema recorrente. Frases como: “Todo mundo tem um lado devassa” (com a cantora Sandy como propaganda), ou “Pelo corpo que se reconhece a verdadeira negra” (fazendo referência a uma cerveja escura), já trazem estampado e ridicularizado o estereótipo de mulher vulgar, que serve ao homem sexualmente.

propagandas de cerveja alcoolismo reflexão 2017 gabriel moura blog loucuras de julia 02

É tão latente, mas ao mesmo tempo tão invisível que beira o ridículo. Você não ouve na grande mídia os processos que essas empresas levam por propagandas de cunho sexual. As propagandas mais absurdas entram e saem do ar com a mesma velocidade que cada vez mais jovens, e cada vez mais cedo, passam a se drogar. Outro fator que chama atenção, além do cunho sexual, é a relação da cerveja com o prazer. Vídeos onde as pessoas se refrescam tomando uma “gelada”, ou onde só há o barulho do líquido caindo no copo, fazem uma relação direta entre o álcool e a saciedade do prazer.

A indústria da cerveja no Brasil é milionária. Pagam não só para mostrar seu produto, mas para silenciar redes de entretenimento e até o governo. É um poder velado, que sub-repticiamente nos induz a beber, nos mostra que a fuga para nossas vidas medíocres está no prazer que a bebida nos proporciona.

propagandas de cerveja alcoolismo reflexão 2017 gabriel moura blog loucuras de julia 03

E o mundo atualmente é assim: pagando bem, que mal tem? “Me pagam para fazer propaganda de cerveja, posso até saber dos malefícios que traz, mas se eu não fizer, outro fará.” Certo ou errado, cada um na sua consciência. É difícil até falar a respeito diante da verdadeira veneração que o brasileiro tem pela cerveja. Mas como tudo na vida, o problema não é o consumo, mas o excesso. Se até o excesso de água faz mal, imagina de álcool!

Essa discussão me faz lembrar de uma matéria que li sobre os campos de concentração nazistas. Houve uma intensa busca do governo alemão nazista pelos melhores engenheiros do país, com uma intensa propaganda para chamar os melhores. O motivo: queriam melhorar o sistema ferroviário para melhorar o carregamento de seres humanos para Auschwitz. E conseguiram. Pagando bem, que mal tem?

Até a próxima!

selo-gabriel-mouraConheça também meu blog pessoal: Resumo de Livro

.

Fontes: Criança e consumo; Adolescência; BBC

 

Anúncios

11 comentários em “Publicidade dialética

  1. Mas ninguém reclama pq a gente ve isso desde criança e seja mulher ou homem é so um comercial. Isso na verdade é pessimo pq ha a inversão de valores e acabamos nem nos permitindo a reflexão
    Ja quero aproveitar e convidar você a visitar meu blog, la a gente aborda diversos assuntos cotidianos tambem. Ja estou te seguindo bjoshttps://garotadramablog.wordpress.com

    Curtido por 1 pessoa

  2. Mas ninguém reclama pq a gente ve isso desde criança e seja mulher ou homem é so um comercial. Isso na verdade é pessimo pq ha a inversão de valores e acabamos nem nos permitindo a reflexão
    Ja quero aproveitar e convidar você a visitar meu blog, la a gente aborda diversos assuntos cotidianos tambem. Ja estou te seguindo bjos

    Curtido por 1 pessoa

    1. Concordo. Parece um sistema de bate-estaca: desde sempre somos bombardeados com esse tipo de propaganda, e acabamos envolvidos por uma lógica que não faz sentido algum, mas que com o tempo parece fazer sentido.
      Obrigado pelo comentário.
      Já estou a seguir-te.

      Curtir

    1. Penso que a ética estanca na lei do consumismo, nas leis do capitalismo que visa somente o lucro a qualquer preço. A sociedade engole por que quer, por que infelizmente não enxerga a realidade, apenas a imagem da realidade transmitida pelos meios de comunicação.
      Abraço.

      Curtido por 1 pessoa

    1. Esse é um aspecto interessante. A cerveja tem no homem o seu público alvo, então por que, no Brasil, usar mulheres semi nuas em sua propaganda? Vc fala de um bom exemplo de que o que está em jogo é a vulgarização da mulher e a decadência da sociedade brasileira.
      Muito bom seu comentário.

      Curtido por 1 pessoa

    2. Obrigada.
      O seu texto fez-me refletir sobre o assunto e comecei a me lembrar q nunca vi mulheres nos comerciais de cerveja da Bélgica. Será machismo? Bem, eu prefiro machismo do que vulgarização da mulher como um objeto.
      A minha cerveja preferida é a Durvel. No entanto, a mais popular e barata é a Jupiler e, por isso, só vejo esta com publicidade e anunciada em jogos de futebol.
      Segue um link da publicidade do ano passado e retrasado. Veja q diferença, Gabriel! Depois a gente se fala.

      Curtido por 1 pessoa

      1. Interessante. O público alvo é o mesmo: homens que gostam de cerveja. Mas a abordagem é completamente diferente, sei que são culturas diferentes, mas não deixa de ser peculiar o olhar do brasileiro que vê na vulgarização algo útil.
        Abraço.

        Curtido por 1 pessoa

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s