Atualidades · Curiosidade · Estudos · Gabriel Moura

Observatório Solar

Olá, tudo bem?

Essa semana um grupo de pesquisadores divulgou uma série de fotos de um complexo antigo destinado ao culto do Sol. Mas será que ele ainda funciona?

observatorio solar antiguidade gabriel moura 2017 blog loucuras de julia 01
Visto do alto parecem apenas 13 colunas construídas em cima de uma colina

Localizado em Casma (na costa peruana, distante 365 km ao norte da capital Lima), o complexo servia para sinalizar com grande exatidão os solstícios, equinócios e diferentes datas do calendário a partir da posição do Sol. O observatório mais antigo das Américas, ou Chankillo (Templo das 13 Torres) como está sendo chamado, foi construído há aproximadamente 2.300 anos, e é na verdade um conjunto de 13 torres de pedras cuidadosamente dispostas no alto de uma colina, onde ainda mais abaixo se encontra um templo e uma praça feitos de pedra e dedicados ao culto do Sol.

Mas a complexidade e perfeição do lugar também chama a atenção para outro detalhe: ninguém sabe quem construiu o local.

observatorio solar antiguidade gabriel moura 2017 blog loucuras de julia 02
Uma das passagens que levam à plataforma de observação das 13 torres

Arqueólogos estimam que Chankillo tenha sido habitada entre 500 e 200 a.C. As 13 torres medem entre 2 e 6 metros e se alinham de norte a sul ao longo de uma colina. Mas como funcionam?

No hemisfério Sul, o solstício de verão, que é quando o Sol atinge a sua maior intensidade, acontece no dia 21 de dezembro. Nesse dia, o Sol nasce exatamente à direita na torre mais à direita da construção:

observatorio solar antiguidade gabriel moura 2017 blog loucuras de julia 03

A partir dessa data o Sol vai nascendo cada dia mais para a esquerda, até que no dia 21 de junho, solstício de inverno no Hemisfério Sul, ele nasce exatamente à esquerda da torre mais à esquerda do complexo. A partir de então, se move sempre à direita. A precisão é tão grande que as torres podem facilmente ser usadas nos dias atuais, “com uma diferença de apenas 2 ou 3 dias”, como diz a WMF (sigla em inglês para Fundo Mundial dos Monumentos), que financia a restauração do complexo.

Chankillo é um exemplo perfeito do uso da paisagem para medir o tempo, e da engenhosidade e capacidade de observação de povos antigos. Os pesquisadores ainda não conseguiram definir qual civilização foi responsável pela construção, visto que esse tipo de construção não se encaixa nas culturas pré-incas já conhecidas.

observatorio solar antiguidade gabriel moura 2017 blog loucuras de julia 04

A grande diferença desse observatório para outros espalhados pelo mundo, é que ele marca não apenas solstícios, mas um calendário que abarca o ano inteiro. Esse é outro fator que significa que Chankillo era destinado apenas para o culto do Sol. O local foi abandonado de repente, após uma suposta invasão feita por uma outra cultura. Os pesquisadores ainda têm muito estudo pela frente, mas a divulgação das fotos já nos mostra que muitas revelações importantes ainda estão por vir…

E por favor, não me venha com o papo de alienígenas do passado, ok?

Até a próxima!

selo-gabriel-mouraConheça também meu blog pessoal: Resumo de Livro

 

 

 

Anúncios

4 comentários em “Observatório Solar

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s