Conhecimento · Cultura · Filmes · Gabriel Moura · Resenhas

A arte de questionar

Olá, tudo bem?

Esse dias atrás vi o filme Deus Não Está Morto 2 e achei o filme péssimo e vou explicar o porquê…

deus não está morto 2 01 gabriel moura 2017 loucuras de julia

A história tem muitos furos e os atores são horríveis. Mas o propósito ao qual o filme se presta, ou seja, ser um filme religioso que faz uma defesa de certo tipo de pensamento, ele cumpre com o prometido, mas não deixa de ser um filme ruim.

Porém, o que esse filme me trouxe, de verdade, foi uma inquietação sobre a arte de questionar. Chamo de arte pois assim como uma pintura, uma escultura, ou qualquer outro tipo de arte, há que se ter uma capacidade para transformar a sua realidade em uma obra de arte.

Alguns nascem com o dom, mas o restante precisa aprimorar essa capacidade.

deus não está morto 2 02 gabriel moura 2017 loucuras de julia

E para mim questionar é uma arte quando as respostas das perguntas questionadoras levam você a modificar sua experiência de vida. Por exemplo, se você vê algo na rua, ou em algum lugar que você frequenta, que te chama a atenção , mas você não sabe o porquê daquilo acontecer. Você questiona sobre aquele porquê, encontra as respostas e passa a tentar modificar sua experiência diante daquilo. Acredito que passamos a realmente mudar nossas vidas aprimorando a capacidade de questionar o que nos rodeia.

E religião, assim como qualquer oura coisa, é para ser questionada. O Professor Cortella disse certa vez: religião não é coisa de gente tonta. Religião é coisa de gente, mas tem gente que é tonta. Vou um pouco mais além: religião, assim como política, futebol, etc, se debate sim. Não se debate é com gente com a mente pequena. Por isso esse filme é muito ruim.

deus não está morto 2 03 gabriel moura 2017 loucuras de julia

Ele não propõe um debate aberto, com outros pensamentos, de forma respeitosa e harmoniosa. Faz exatamente o contrário: o meu pensamento é o certo e todo mundo que pensa como eu é feliz, e quem pensa o contrário é triste e infeliz. Infelizmente, o desenvolvimento da ciência, os avanços tecnológicos nas comunicações e todo o poder de informação e conhecimento da internet não estão servindo para promover esse debate mais amplo. O que se vê por aí é muito extremismo e muito proselitismo. O que é uma pena, e um enorme paradoxo.

Paradoxo pois as novas igrejas que pregam a teoria da prosperidade estão entre aquelas que participam desse movimento de exclusão e de diferença para com o outro. Parece que a prosperidade é só para aqueles que pensam igual a mim, o restante que se exploda. E mais paradoxal ainda é utilizar ensinamentos bíblicos de amor ao próximo para esse fins.

Questione sim! Conteste sim! Faça com propriedade e com consistência e o mundo real se abrirá diante dos seus olhos.

Até a próxima!

selo-gabriel-mouraConheça também meu blog pessoal: Resumo de Livro

Anúncios

6 comentários em “A arte de questionar

      1. Depende do que quer dizer com libertadora…
        Entenda que o budismo também possui muitas divisões teológicas, por exemplo, o pouco que estudei do budismo hinayana, do Dalai Lama, eles precisam viver fora da sociedade para poder atingir a iluminação como bodhisatva e almejar atingir o estado de buda em outro mundo. Meu pensamento diverge radicalmente dessa necessidade de viver fora da sociedade para poder livrar -se do desejo… Isso implicaria, ao meu ver, em um declínio da sociedade se essa for a prática verdadeira. Já o budismo que prático me parece mais libertador por pregar que todos possuem o estado de buda em seu coração e não há oração sem resposta. Que orando corretamente esse estado de buda irá te responder porque precisa disso e como agir para conseguir…
        Simplifiquei muito… Mas a intenção era dizer que há diferenças radicais dentro do budismo…

        Curtido por 1 pessoa

  1. Adorei seu texto. Realmente o questionamento faz parte da nossa essência desde os tempos mais remotos porém a maioria de nós perde essa fome de aprender e muitas vezes essas pessoas acabam por reprimir quem tem a capacidade e a curiosidade de questionar o mundo. Na religião isso se vê com mais força pois os fanáticos não admitem as reflexões nesse campo, ficando pois fechados no seu mundinho. Já vi pessoas ao meu redor dizerem que se você é da igreja tal você vai ser abençoado, vai ganhar então muitos bens materiais e vai ser mais feliz do que os outros. Temos que abrir nossas mentes e questionar esses tipos de ações e pensamentos não nos deixando contaminar por esses absurdos.
    Super beijo!

    Curtido por 1 pessoa

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s