Érica Aragão · Crônicas do Cotidiano · Cultura · Reflexão

AS RUAS: A casa de todos e de ninguém #BEDO

As ruas sempre foram temas de cronistas, poetas… Escritores diversos. Mas fico imaginando o que será que pensa sobre as ruas quem nela mora?

Morar nas ruas deve ser não se sentir habitado, não se sentir pertencente ao espaço e nem ter um lugar. Morar nas ruas deve ser como uma ilha que existe ou não, conforme a Maré.

Nós passamos nas ruas todos os dias. As ruas passam neles a toda hora.

O que será que um morador de rua escreveria sobre ela?

Que as ruas são uma pista no gelo, escorregadias e frias. Ou que são como saunas, enclausuram e fazem o suor pingar. Escreveriam que as ruas são lares sem tetos… Ou nada disso.

As ruas têm movimentos que vemos, poluição que sentimos. Têm cachorros sem dono. Tem árvores (ou não) frondosas e antigas. Tem buracos e pistas que levam a outras ruas. Tem fios e calçadas, e em cada um desses espaços tem memória. Lembranças de alguém, de um fato de um dia…

ruas-01

E o que tem nas ruas de quem nelas habitam?

Tem o silêncio e as vozes gritantes. Tem a liberdade de caminhar sem destino. Tem a prisão de não ter para onde ir.

ruas-02

E nós que moramos em casas e habitamos no olhar de alguém ainda reclamamos dos que moram na rua. Temos medo! Eles é que deveriam ter medo de nós. Nós que temos o poder de habitar, de ir e voltar e nem ao menos olhar o humano que habita a rua, e olhar a rua que habita em nós.

selo-erica-aragao

.

selo-bedo-03

Anúncios

2 comentários em “AS RUAS: A casa de todos e de ninguém #BEDO

  1. Escrevi um post não faz muito tempo sobre as ruas do lugar onde moro, acho interessante a maneira como ocupamos esse espaço. Para muitos de nós são apenas caminhos de passagem. Eu que tenho mania de andar. Preciso do movimento para escrever, um pé depois do outro, uma virgula depois da outra, uma frase depois da outra.
    Mas nunca pensei a rua enquanto residência para pessoas, apenas como caminho mesmo. Aqui vejo moradores em condição de rua, nas praças e embaixo de viadutos, sempre na companhia de cães. É outra realidade, mas não sei medí-la. Preciso pensar e pensar… mas não hoje.

    bacio

    Curtido por 2 pessoas

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s