2016 · Érica Aragão · Bem Estar · Blog · Censura · Clássico · Conhecimento · cotidiano · Crônicas do Cotidiano · Criatividade · Cultura · Curiosidade · Diversão · Entretenimento · História · Humor · Inspiração · Loucuras · mundo · Reflexão · Respostas · Rotina

Cheio de nove horas…

Cada uma sabe onde o sapato aperta. É verdade! E em tempos de dificuldades econômica e moral “o pior cego é aquele que não quer ver”. Ou diria eu, o pior cego não é o que não pode ver, mas o que vê apenas com o seu umbigo. Mas, cada um sabe das suas dores nas horas em que o sapato aperta, ainda assim todo mundo crê que “Deus tem mais para dar que o diabo para tirar”.

E não adianta ficar desesperado, meu amigo, porque “nada como um dia após o outro”, além disso “um dia é da caça, outro do caçador”.

Que nunca ouviu esses ditados? Quem nunca falou um dito popular? Todos nós usamos até sem saber os ditos populares. Eles fazem parte da nossa língua, nossa cultura e sem querer a gente solta um. Alguns tem uma origem bem interessante e engraçada.

“Cheio de nove horas”, por exemplo, é uma expressão popular que segundo Câmara Cascudo significa “a hora clássica do século XIX, regulando o final das visitas, ditando o momento das despedidas”.

Ou seja, nessa época, o camarada e as moças que ficassem na rua após as nove não era muito bem visto. Isso era coisa de boêmio, artista, vagabundo (vê se pode!? Rs). Mas aqueles que cumpriam direitinho a tradição estavam sempre às 9h em casa, ou por medo de levar umas cacetadas da polícia, ou por medo de levar uns tabefes das esposas.

Uma figura foi criada nessa época, era como um matrimonialista, cerimonialista que fazia questão de lembrar todas as regras de conduta e impor limites aos outros. Era um controlador da vida dos outros e dos pecados alheios. Essa figura era o “cheio de nove horas”.

Assim então surgiu tal expressão que para nós significa uma pessoa chatinha, cheia de frescuras e manias. Curioso, né?! Nossa língua e cultura é riquíssima.

Gente, vou terminar, pois já são 9h:01min. Vai que a polícia me pegue! Rs

Aquele abraço e até quarta.

selo-erica-aragao

Fonte: Veja Abril

2 comentários em “Cheio de nove horas…

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s